Fábulas: o perigo de uma história única.

Cintia Maria de Cerqueira Soares, Felipe de Cerqueira Lopes

Resumo


O presente artigo relata o uso das fábulas na contação de história no âmbito educacional. Sendo assim, o objetivo do texto é realizar um diálogo sobre a importância do contato da criança com a literatura. Pois a partir deste contato, a história torna-se um veículo importante para formação de novos leitores e permite uma relação da criança com o mundo em que vive. Realizou-se uma pesquisa bibliográfica considerando as contribuições de autores como HAMPATE BÂ (1980), ADICHIE (2019), TASSI (2020), entre outros, procurando trazer um alerta sobre o conhecimento que é construído através das histórias que lemos e escutamos.  Quanto maior for o número de narrativas que tivermos acesso, mais ampla e assertiva ficará nossa compreensão sobre determinado assunto. Conclui-se, que ao nos aproximarmos de uma criança, precisamos tecer a sua identidade, origem, local de convivência, as suas concepções enquanto estudante, expressões sociais, o seu legado cultural, saberes e culturas vivenciadas e construídas.


Palavras-chave


Criança; Fábulas; História; Literatura.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVICH, Fanny. Literatura infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1997.

ADICHIE, C. N. O perigo de uma história única. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

ADICHIE, C. N. Os perigos de uma história única. Oxford: Conference Annual – Tecnology, Entertainment and Design - Ted Global, 2009. Disponível em . Acesso em 30 de dezembro de 2020.

ARROYO, M. G. Ofício de Mestre: imagens e autoimagens. Petrópolis: Vozes, 2000.

FERNANDES, M.T. O. S. Trabalhando com os gêneros do discurso. Narrar: fábula/ coleção Jacqueline Peixoto Barbosa – São Paulo: FTD, 2001 – (Coleção trabalhando com os gêneros de discurso).

GÓES, Lucia Pimentel – Introdução à literatura infantil e juvenil. 2. Ed. São Paulo: Pioneira, 1991.

HAMPATE BÂ, A. A tradição viva. In: KI-ZERBO, J. (Org.) História Geral da África. São Paulo: Ed. Ática/UNESCO, 1980.

HARTMANN, L. Arte e a Ciência de contar histórias: como a noção de performance pode provocar diálogos entre a pesquisa e a prática. Moringa. João Pessoa, V. 5 N. 2 Jul-dez, 2014.

LAJOLO, Marisa. Do mundo da leitura para a leitura do mundo. 6ª ed. 13ª impressão. São Paulo: Editora Ática, 2008.

LIMA, Renan de Moura Rodrigues; ROSA, Lúcia Regina Lucas. O uso das fábulas no ensino fundamental para o desenvolvimento da linguagem oral e escrita. CIPPUS - Revista de Iniciação Científica do Unilasalle, v. 1, n. 1, maio, 2012.

MARCUSCH, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros Textuais: definição e funcionalidade. DIONISIO, Angela Piava; MACHADO, Anna Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora. (Org.) Gêneros Textuais e Ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

MOISÉS, Massaud. Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 2004.

LIMA, Renan de Moura Rodrigues; ROSA, Lúcia Regina Lucas. O uso das fábulas no ensino fundamental para o desenvolvimento da linguagem oral e escrita. CIPPUS - Revista de Iniciação Científica do Unilasalle, v. 1, n. 1, maio, 2012.

PORTELA, Oswaldo O. A fábula. Revista Letras, v.32, 1983. Disponível em . Acesso em 10 de outubro de 2020.

SANTOS Elma Jane das Virgens Silva. Leitura de fábulas em sala de aula, 2012 Feira de Santana. Disponível em: http://www2.uefs.br/dla/graduando/n4/n4.13-23.pdf acesso em 29/12/2020

SARMENTO, M. J. Gerações e alteridade: interrogações a partir da sociologia da infância. Educação e Sociedade. Campinas, v. 26, n. 91, p.361-378, 2005.

TASSI, Adelaide da Rosa. A importância da literatura infantil para o desenvolvimento e aprendizagem da criança. Porto Alegre: [s.n.], 2002. Disponível em: . Acesso em: 28 de outubro de 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Simpósio Internacional de Educação e Comunicação - SIMEDUC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.