ADOECIMENTO MENTAL EM PROFESSORES BRASILEIROS

Erik Cunha de Oliveira, Vera Maria dos Santos

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir as principais causas do adoecimento mental em professores brasileiros. O estudo resultou de uma pesquisa bibliográfica com realce para produções científicas teoricamente referenciadas por autores da Educação e da Psicologia, destacando trabalhos desenvolvidos por Christophe Dejours (1994), Edith Seligmann-Silva (1994, 2011), José Esteve (1999, 2014) e Wanderley Codo (1999, 2000, 2002), com vista a identificar os principais sintomas ou causas do adoecimento mental entre professores brasileiros.


Palavras-chave


Adoecimento Mental. Saúde Docente. Trabalho Docente.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Aljucy Martins da Rocha. O estresse ocupacional do professor do ensino superior: a relação entre os sintomas de estresse e a atividade docente em duas instituições de ensino superior da cidade de Teresina-PI. Dissertação de Mestrado - Instituto de Ciências da Educação, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa. 2010.

CODO, Wanderley. Educação: carinho e trabalho. Petrópolis, RJ: Vozes. 1999.

CODO, Wanderley; MENEZES, Iône Vasques. Burnout: Sofrimento psíquico dos trabalhadores em educação. Cadernos de Saúde do Trabalhador, 2000.

CODO, Wanderley; JACQUES, Maria da Graça Corrêa. Saúde Mental e Trabalho: Leituras. Petrópolis: Vozes, 2002.

DEJOURS, Christophe. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da Escola Dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas. 1994.

ESTEVE, José Manuel. O mal-estar docente: a sala de aula e a saúde dos professores. São Paulo: Edusc. 1999.

ESTEVE, José Manuel. Mudanças sociais e função docente. In: NÓVOA, A. Profissão professor. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2014.

LEÓN, Giselle León. Los profesionales de secundaria, como factores de riesgo en el síndrome de Burnout. Revista Electrónica Educare, 15(1), 2011.

MELEIRO, S. O stress do professor. In M. N. Lipp (Org.), O stress do professor. Campinas, SP: Papirus. 2012.

NEVES, Mary Yale Rodrigues.; SELIGMANN-SILVA, Edith. A dor e a delícia de ser (estar) professora: trabalho docente e saúde mental. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, 2006.

NORONHA, Maria Márcia Bicalho. Condições do exercício profissional da professora e os seus possíveis efeitos sobre a saúde: estudo de casos das professoras do ensino fundamental em uma escola pública de Montes Claros, Minas Gerais. Dissertação de Mestrado – Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2001.

OLIVEIRA, Eloiza da Silva Gomes de. O “Mal Estar” docente como fenômeno da modernidade: os professores no país das maravilhas. UFRJ, Rio de Janeiro. 2006.

REIS, Maria Izabel Alves dos. O adoecimento dos trabalhadores docentes na rede pública de ensino de Belém-Pará. Tese de Doutorado - Instituto de Ciências da Educação, Universidade Federal do Pará, Belém, 2014.

SELIGMANN-SILVA, Edith. Desgaste mental no trabalho dominado. São Paulo: Cortês, 1994.

SELIGMANN-SILVA, Edith. Trabalho e desgaste mental: o direito de ser dono de si mesmo. SP: Cortês, 2011.

TUOTO, Elvio A. Síndrome de Burnout. In: História da Medicina Dr. Elvio A Tuoto. Brasil, 2007.

VASCONCELLOS, Celso. Construção do conhecimento em sala de aula. 6. ed. São Paulo: Libertad; 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Simpósio Internacional de Educação e Comunicação - SIMEDUC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.