INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NA FORMAÇÃO DE QUALIDADE: estudo na Universidade Federal de Sergipe

Júlia de Souza Lima, Marilene Batista da Cruz Nascimento, Mateus HenriqueSilva Santos

Resumo


Este estudo tem como objetivos levantar os dados dos bolsistas/voluntários dos cursos de graduação da Universidade Federal de Sergipe (UFS), no período de 2013-2016, bem como discutir as inter-relações entre iniciação científica (IC), iniciação tecnológica (IT) e formação universitária de qualidade. O mapeamento identificou um total de 699 egressos que vivenciaram a IC e a IT no período estipulado. No tocante aos dados qualitativos, utilizou-se a técnica da entrevista com quatro egressos vinculados aos Programas de Iniciação Científica e Tecnológica da UFS, aplicando-se a análise textual discursiva (ATD). As análises indicaram a necessidade de implementação de políticas públicas e de investimento em projetos de IC e IT. Os investigados, ainda, reconheceram os limites e as lacunas das pesquisas, compreendendo que há muito mais a ser explorado para se alcançar patamares de produção e difusão de conhecimento em redes colaborativas de ciência e tecnologia de países desenvolvidos. Observou-se, por fim, que a participação em IC ou IT também favorece uma formação humana e social, centrada na lógica de tratamento diferenciado para quem é diferente.


Palavras-chave


Formação universitária; iniciação científica; iniciação tecnológica; qualidade.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Regimento interno do CNPq. Brasília, 2002.

BRASIL. A iniciação científica: uma estratégia eficaz de transformação. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Brasília: CNPq, 2010.

FORMICHELLA, María. ¿Se debe el mayor rendimiento de las escuelas de gestión privada en la Argentina al tipo de administración?. Revista Cepal, Argentina, v. 105, 151-166 p., diciembre, 2011.

GOLA, M. M. Premises to accreditation: a minimum set of accreditation requirements. In: Anais do ENQA Workshop Reports, Accreditation Models in Higher Education - Experiences and Perspectives, European Network of Quality Assurance in Higher Education, Helsinki, Anais eletrônicos... Finland, 2003.

MARCUSCHI, L. A. Avaliação do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) do CNPq e proposta de ação. Recife: Mimeo, 1996.

MASSI, Luciana; QUEIROZ, Salete Linhares. Iniciação científica no ensino superior: fundamentos e contribuições. Campinas, SP: Editora Átomo, 2010.

MORAES, Roque. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003.

MOROSINI, Marilia Costa. Qualidade da educação universitária: isomorfismo, diversidade e equidade. Interface, Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 5, n. 9, p. 89-102, 2001.

MOROSINI, Marilia Costa. Qualidade da educação superior e internacionalização: estado de conhecimento sobre indicadores. In: CUNHA, M. I.; BROILO, C. (org.). Qualidade na educação superior: grupos investigativos internacionais em diálogo. São Paulo: Marin & Junqueira, 2012.

MOROSINI, Marilia Costa et al. Qualidade da educação superior e contextos emergentes. Avaliação, Campinas, v. 19, n. 2, p. 385-405, jul. 2014.

MOROSINI, Marilia Costa. Estado de conhecimento e questões do campo científico. Revista Educação, Santa Maria, v. 40, n. 1, p. 101-116, jan./abr. 2015.

MOROSINI, Marilia et al. A qualidade da educação superior e o complexo exercício de propor indicadores. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 21, n. 64, p. 13-37, jan./mar. 2016.

PAINEL de Investimentos. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. 2019. Disponível em: http://www.cnpq.br/painel-de-investimentos. Acesso em: 10 jan 2019.

REFLEX: the flexible professional in knowledge society. Disponível em: http://www. webs.ulpgc.es/gei/jose/Introduccion_Gabinete/Reflex.pdf. Acesso em: 10 jan 2019.

PROFLEX: el profesional flexible en la sociedad del conocimiento. Disponível em: http://www.seguimientoegresados.com/. Acesso em: 10 jan 2019.

SANYAL, Bikas C.; MARTIN, Michaela. Garantia de qualidade e papel do credenciamento: uma descrição geral. In: Educação superior em um tempo de transformação: novas dinâmicas para a responsabilidade social. Trad. Vera Muller. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009.

SOUZA, Celina. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, n.º 16, p. 20-45, jul./dez., 2006.

VALLAYES, François. Breve marco teórico de responsabilidade social universitária. 2008. Disponível em: http://rsuniversitaria.org/web/images/stories/ BreveMarcoTeodelaResponsabilidadSocialUniv.pdf. Acesso em: 10 jan. 2019.

VISEU, Ana Sofia Alves da Silva Cardoso. Políticas públicas de ciência e a regulação da investigação educacional: estrutura e redes de investigadores. 2012. (Tese de Doutorado em Educação), Universidade de Lisboa, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Simpósio Internacional de Educação e Comunicação - SIMEDUC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.