PANDEMIA E DISSEMINAÇÃO DE FAKE NEWS NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA PLATAFORMA DE FACT-CHECKING

Leonardo Pereira Tavares

Resumo


Este artigo relata resultados parciais de pesquisa PIBIC/CNPq em andamento e evidencia a importância de manter a população informada de fatos, principalmente em um momento excepcional, como o caso da pandemia do coronavírus em 2020. Dessa forma, o objetivo foi verificar através de plataforma de fact-checking a quantidade de Fake News sobre o vírus disseminadas nos oitos primeiros meses de pandemia no Brasil e elencar aquelas de maior impacto, com base em resultados obtidos em um mecanismo de busca. O processo metodológico foi desenvolvido em duas etapas, a primeira analisou e quantificou as notícias checadas pela agência Lupa, enquanto a segunda utilizou os resultados da etapa anterior e, por meio de palavras-chaves selecionadas, recorreu à plataforma de busca Bing Microsoft para analisar, com base na quantidade de resultados nela obtidos, qual dessas notícias teve maior impacto em cada mês analisado. Os dados obtidos na primeira etapa indicaram que o mês de abril foi o mês em que houve maior checagem de informações pela Lupa e que em agosto cerca de 27% das informações checadas minimizavam a gravidade da pandemia de alguma forma. Também foi possível verificar que as notícias que tinham maior repercussão envolviam figuras públicas. Os resultados ressaltam a relevância dos serviços de fact-checking e, considerando as consequências observadas, o quão cauteloso se deve ser ao partilhar informações nos meios de comunicação, o que deve ser alvo de ações de educação para a comunicação.

Palavras-chave


Desinformação; Pós-verdade; Fact-checking; Infodemia; Educação para Comunicação.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRAES, Rhayssam Poubel de Alencar. Crimes contra a honra praticados por fake news: uma ameaça à democracia e a participação política. Conpedi Law Review, v. 4, n. 2, p. 164-183, 2018.

BORDENAVE, José. Além dos meios e mensagens. Petrópolis: Vozes. 2003.

CATALÁN-MATAMOROS, Daniel. La comunicación sobre la pandemia del COVID-19 en la era digital: manipulación informativa, fake news y redes sociales. REVISTA ESPAÑOLA DE COMUNICACIÓN EN SALUD, p. 5-8, 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. São Paulo. Paz e Terra. 2000.

HOLAN, Angie Drobnic. The Principles of the Truth-O-Meter: politifact’s methodology for independent fact-checking. 2020. Disponível em: https://www.politifact.com/article/2018/feb/12/principles-truth-o-meter-politifacts-methodology-i/. Acesso em: 05 fev. 2021.

ISLAM, Md SaifuL et al. COVID-19–Related Infodemic and Its Impact on Public Health: a global social media analysis. The American Journal Of Tropical Medicine And Hygiene, [S.L.], v. 103, n. 4, p. 1621-1629, 7 out. 2020.

JAWSNICKER, Claudia. Educomunicação: reflexões sobre teoria e prática. A experiência do Jornal do Santa Cruz, 2010.

LASTRES, Helena Maria Martins; ALBAGLI, Sarita. Introdução: chaves para o terceiro milênio na era do conhecimento. Informação e globalização na era do conhecimento. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1999.

NEISSER, Fernando Gaspar. Fact-checking e o controle da propaganda eleitoral. Ballot, [S.L.], v. 1, n. 2, p. 1-35, 31 dez. 2015. Universidade de Estado do Rio de Janeiro. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/ballot/article/view/22133. Acesso em: 05 fev. 2021.

RESENDE, Gustavo et al. (Mis)Information Dissemination in WhatsApp: gathering, analyzing and countermeasures. The World Wide Web Conference, [S.L.], p. 818-828, 13 maio 2019. ACM. Disponível em: https://dl.acm.org/doi/abs/10.1145/3308558.3313688. Acesso em: 09 dez. 2020.

SILVA FILHO, Rubens da Costa; SILVA, Leila Morás; LUCE, Bruno. Impacto da pós-verdade em fontes de informação para a saúde. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 13, p. 271-287, 2017.

SILVA, Claudionor Renato da; TEIXEIRA, Denilson. Inventário de Programas de Rádio em Educomunicação Ambiental. Revista Brasileira Multidisciplinar, v. 11, n. 2, p. 50-59, 2008.

SPRING, Marianna. Coronavírus: o menino de 5 anos que ficou cego e outros efeitos trágicos das informações falsas sobre a covid-19. o menino de 5 anos que ficou cego e outros efeitos trágicos das informações falsas sobre a covid-19. 2020. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-53054554. Acesso em: 15 dez. 2020.

TRUFFI, Renan. Brasil ultrapassa França, e é quarto país com mais mortes por covid-19. 2020. Disponível em: https://valorinveste.globo.com/mercados/brasil-e-politica/noticia/2020/05/30/brasil-ultrapassa-franca-e-e-quarto-pais-com-mais-mortes-por-covid-19.ghtml. Acesso em: 13 dez. 2020.

VALENTE, Jonas. WhatsApp é principal fonte de informação do brasileiro, diz pesquisa. 2019. Agência Brasil. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-12/whatsapp-e-principal-fonte-de-informacao-do-brasileiro-diz-pesquisa. Acesso em: 05 fev. 2021.

VALIN, Allan. Bing: dicas para deixar sua pesquisa muito mais precisa. dicas para deixar sua pesquisa muito mais precisa. 2009. Disponível em: https://www.tecmundo.com.br/microsoft/3249-bing-dicas-para-deixar-sua-pesquisa-muito-mais-precisa.htm. Acesso em: 06 dez. 2020.

VASCONCELLOS-SILVA, Paulo R.; CASTIEL, Luis David. COVID-19, as fake news e o sono da razão comunicativa gerando monstros: a narrativa dos riscos e os riscos das narrativas. Cadernos de Saúde Pública, São Paulo, v. 36, n. 7, p. 1-12, 24 jul. 2020. FapUNIFESP (SciELO).

VENAGLIA, Guilherme. Após mortes, Brasil ultrapassa China também em casos confirmados da COVID-19. 2020. Disponível em: https://www.cnnbrasil.com.br/saude/2020/04/30/apos-mortes-brasil-ultrapassa-china-tambem-em-casos-confirmados-da-covid-19. Acesso em: 12 dez. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Simpósio Internacional de Educação e Comunicação - SIMEDUC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.