QUAL O LUGAR DAS TICS NA GESTÃO ESCOLAR?

Vanessa Castelo Branco de Melo, Jannice Moraes de Oliveira Cavalcante, Elinásia de Souza Nascimento

Resumo


As intensas mudanças provocadas pela evolução tecnológica no contexto da gestão pública na sociedade do conhecimento requerem dos gestores habilidades para utilizar as ferramentas tecnológicas existentes a seu favor, integrando conhecimentos que viabilizem práticas assertivas em âmbito escolar e comunitário. A condução da gestão escolar possui como fundamento o pressuposto constitucional de democratização e autonomia, condições que favorecem o processo de gestão participativa, que pode ser entendida como a habilidade de tomar decisões coletivas e compartilhadas. Desta feita, o presente estudo tem como objetivo analisar a Gestão Escolar e as Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) segundo a concepção de superação da simples divisão de tarefas, voltada para uma compreensão sistêmica da gestão escolar e do papel do gestor, buscando compreender como as novas tecnologias podem ser ferramentas aliadas ao processo de governança escolar na atualidade. Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo, realizado mediante pesquisa bibliográfica, tendo como base os estudos de autores como Morin (2001, 2002), Lück (2012), Almeida (2000, 2005), Almeida e Rubim (2004), e Santos (1999). Após a realização dessa pesquisa, caminhamos na direção de que as TICs nos impõem desafios significantes, tendo em vista que são instrumentos novos que dinamizam o ensino e que, quando inseridas no processo de gestão escolar, favorecem a construção do conhecimento mediante uma concepção integralizada e sistêmica.

PALAVRAS-CHAVE: Gestão escolar; tecnologias da informação e comunicação; políticas públicas.


Palavras-chave


Gestão escolar; tecnologias da informação e comunicação; políticas públicas.

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, A. J. Gestão, Autonomia e Accountability na Escola Pública Portuguesa: Breve Diacronia. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação (RBPAE). Porto Alegre,

v. 26, n. 1, p.13-30, jan./abr. 2010. Disponível em: file:///C:/Users/User/Downloads/19678-71373-1-PB.pdf. Acesso em: 20 jan. 2019.

ALMEIDA, M. E. B. Informática e formação de professores. Secretaria da Educação a Distância. Brasília: Ministério da Educação, 2000. Disponível em:

http://www.intaead.com.br/ebooks1/livros/pedagogia/27.Inform%E1tica%20e%20a%20Forma%E7%E3o%20de%20Professores.pdf. Acesso em: 20 jan. 2019.

ALMEIDA, M. E. B. Gestão de tecnologias na escola: possibilidades de uma prática democrática, 2005. Disponível em: file:///C:/Users/User/Downloads/Tecnologias_para_a_gestao_democratica_GE.pdf. Acesso em: 21 jan. 2019.

ALMEIDA, M. E. B.; RUBIM, L. O papel do gestor escolar na incorporação das TIC na escola: experiências em construção e redes colaborativas de aprendizagem. São Paulo: PUC – SP, 2004.

BELLONI, M. L. O que é Mídia e Educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2001.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394 de 20 de dezembro de 1996. Brasília, DF: 2018. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf. Acesso em: 10 fev. 2017.

DEMO, P. Participação é conquista. São Paulo: Cortez. Autores Associados, 1988.

KÖCHER, J. C. Fundamentos de Metodologia Científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. Petrópolis - RJ: Vozes, 2011.

LÜCK, H. Concepções e Processos Democráticos de Gestão Educacional. Petrópolis: Vozes, 2012.

MEDEIROS, I. L. P. Gestão Democrática na Rede Municipal de Educação de Porto Alegre de 1989 a 2000: a tensão entre reforma e mudança. Dissertação (Mestrado em Política e Gestão da Educação). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2003. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/3899. Acesso em: 21 fev. 2019.

MORIN, E. Ciência com consciência. Tradução: Maria D. Alexandre e Maria Alice Sampaio Dória. 5. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

MORIN, E. A religação dos saberes: o desafio do século XXI. Tradução de Flávia Nascimento. 3. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

PARO, V. Administração escolar: introdução crítica. São Paulo: Cortez, 2000.

RIBEIRO, M. E. S. A gestão universitária: um estudo na UFPA, de 2001 a 2011. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal do Pará. Belém, 2013. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/bitstream/2011/3862/1/Tese_GestaoUniversitariaEstudo.pdf. Acesso em: 20 jan. 2019.

SANTOS, B. S. Pela mão de Alice. São Paulo: Cortez, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Simpósio Internacional de Educação e Comunicação - SIMEDUC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.