EDUCAÇÃO INCLUSIVA E O OLHAR DO PROFESSOR SOBRE A FORMAÇÃO DOCENTE

TISCIANA SANDRA MELO LIMA, Advanusia Santos Silva de Oliveira, Andrea Karla Ferreira Nunes

Resumo


Este artigo apresenta um panorama histórico sobre a evolução do conceito de Educação Inclusiva incutido nos diversos documentos que disciplinam essa temática, bem como a formação docente. O trabalho lança mão de estudos bibliográficos que discutem a Educação Especial na perspectiva da inclusão e os desafios de atender alunos com deficiência no ensino regular, sobretudo nos ensinamentos de Almeida (2007), Mantoan (2003) e Nóvoa (2002), e, com essas bases, as considerações aqui debatidas conduzem à reflexão sobre as possibilidades que uma formação docente, aliada com a perspectiva da Educação Inclusiva, podem trazer para o desenvolvimento de um trabalho educativo que contribua com mais eficácia para a efetivação da inclusão escolar como uma proposta ancorada numa educação de qualidade para todos.

 


Palavras-chave


Educação Inclusiva. Formação Docente. Legislação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Dulce Barros de. Da educação especial à educação inclusiva? A proposta de “inclusão escolar”. Anped, 2007.

BRASIL. Congresso Nacional. Constituição de 1988: República Federativa do Brasil. Brasília: Centro Gráfico, 1988.

. Congresso Nacional. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9.394). Brasília: Centro Gráfico, 1996.

. Estatuto da Criança e do Adolescente. Câmara dos Deputados, Lei 8.069/90, de 13 julho de 1990. DOU de 16/07/1990-ECA, Brasília, DF.

. Ministério da Educação. Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica. Secretaria de Educação Especial-MEC; SEESP, 2001.

. MEC. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. MEC/SEESP, Brasília, 2008.

CARVALHO, Rosita Edler. Educação inclusiva: com os pingos nos is. 11. ed. Porto Alegre: Mediação, 2016.

GLAT, R.; PLETSCH, M. D. O papel da Universidade no contexto da política de Educação Inclusiva: reflexões sobre a formação de recursos humanos e a produção de conhecimento. Revista de Educação Especial, Santa Maria, v. 23, n. 38, p. 345-356, set./dez. 2010. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/2095/1444. Acesso em: 15 de fev. 2015

KASSAR, M.C.M. Reforma do Estado e educação especial: preliminares para análise. Revista de Educação, Campinas, v.11, n.1, p24, 2011.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão Escolar: o que é, por que, como fazer. São Paulo: Summus, 2015.

MIRANDA, Theresinha Guimarães. As múltiplas dimensões da formação docente para uma escola inclusiva: uma reflexão a partir da perspectiva cultural. Revista Entreideias, Salvador, v. 4, n. 1, p. 13-34, jan./jun. 2015.

NÓVOA, Antônio. Formação de professores e trabalho pedagógico. Lisboa: EDUCA, 2002.

SOARES, M. T. N. Programa Educação Inclusiva Direito à Diversidade: Estudo de caso sobre estratégia de multiplicação de políticas públicas. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Paraíba, 2010.

UNESCO. Declaração de Salamanca sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Conferência Mundial de Educação Especial, 1994.

VITALIANO, C. R. Analise da necessidade de preparação pedagógica de professores de cursos de licenciatura para inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais. In: Revista Brasileira de Educação Especial [online].2007, vol. 13, n.3, p.399-414. ISSN 1413-6538. Disponível em: .Acesso em: 29 dez.2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Simpósio Internacional de Educação e Comunicação - SIMEDUC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.