SIGNIFICAÇÕES E RESIGNIFICAÇÕES DOS MEMES DE NARUTO EM PERÍODO DE PANDEMIA NO INSTAGRAM

Marisete Augusta da Cruz, Ronaldo Nunes Linhares, Naldson Gome de Santana

Resumo


O artigo procura analisar o animê/mangá “Naruto”, sua capacidade de engendrar significações e ressignificações ao entrelaçar-se com o gênero meme, proveniente do Instagram, no auxílio a aprendizagem voltada a saúde em período de pandemia; devido a sua dinâmica fluida, adaptativa e transformadora que direciona seus seguidores à informação, à diversão, à ironia, à crítica, à orientação e à mudança comportamental através do Instagram.   Para tal, foi realizada uma pesquisa quantitativa com o intuito de perceber e analisar o animê/mangá Naruto como mediador de significados múltiplos; com aporte teórico de autores como Ausubel (1982), Hall (2003), Han (2019), Lipovestsky (2008), Martin-Barbeiro (2006) e outros; além de memes coletados de perfis do Instagram no período de setembro a novembro de 2020.

Palavras-chave


Animê/mangá Naruto, Educação Significativa.

Texto completo:

PDF

Referências


AUSUBEL, D. P. A aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: 1982

BORDENAVE, Juan. Além dos meios e mensagens. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 1993.

BRASIL. Ministério da Saúde. Sobre a doença. 2020. Disponível em: < https://coronavirus.saude.gov.br/sobre-a-doenca> Acessado em 20 de abr. de 2020.

BRASIL. Presidência da República. Secretaria de Comunicação Social. Pesquisa brasileira de mídia 2016: hábitos de consumo de mídia pela população brasileira. Disponível em:< http://pesquisademidia.gov.br/#/Geral/details-917>. Acesso em 19 abr. 2019.

CHERRY, Colin. A comunicação humana. São Paulo: Cultrix, 1974.

CHIAVENATO, Idalberto. Comportamento organizacional: a dinâmica do sucesso das organizações. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

CRUZ, Ana Laura. Você sabe quais são as redes socais mas utilizadas no Brasil em 2020?. 2020. On-line. Disponível em: < https://www.maioresemelhores.com/redes-sociais-mais-utilizadas-brasil/>. Acessado em 26 nov. 2020.

HALL, S. Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003. Pac. Teoria da Recepção, p.353 a 404.

HAN, BYUNG-Chul. Hipercultrualidade: cultura e globalização. Petrópolis, RJ: Vozes, 2019.

LEMKE, Jay. Metamedia literacy: transforming meanings and media. In: REINKING, D. et al (Eds.) Literacy for the 21st Century: technological transformation in a post-typographic world. Hillsdale, NJ: Erlbaum, 1998. p. 238-301. Disponível em: . Acesso em: 19 nov. 2020.

LIPOVETSKY, Gilles & SERROY, Jean. A Cultura Mundo: resposta a uma sociedade desorientada. Lisboa: Ed. 70, 2008.

MARTIN – BARBERO, Jesus. Dos meios as mediações. Prefácio a 5ª edição. Rio de Janeiro, Edit. UFRJ, 2006.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 10.ed, 2007.

NARUTO_UZUMAKIBRASIL[Instagram], Acessado em 14 setembro de 2020, https://www.instagram.com/p/B9uqEKQAqME/?utm_source=ig_web_copy_link.

OLIVEIRA, Kaio Eduardo de Jesus. Ciência dos Memes e Os Memes e os Memes da Ciência: Divulgação Científica e Educação na Cultura Digital. Tese (Doutorado em Educação), Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Tiradentes. Sergipe, 2020.

SANTAELLA, Lúcia. Culturas e Artes do Pós-humano: da Cultura das Mídias À Cibercultura – Col. Comunicação. São Paulo: Paulus, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Simpósio Internacional de Educação e Comunicação - SIMEDUC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.