AS TECNOLOGIAS E MÍDIAS DIGITAIS COMO DISPOSITIVOS EFICAZES NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Sandra Arnaldo de Amorim Lima, José Daniel Vieira Santos, Alexandre Meneses Chagas

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo realizar uma discussão sobre a Educação Inclusiva e a importância do uso das tecnologias e mídias digitais como dispositivos eficazes na garantia do direito de todos à educação. O estudo fundamenta-se em autores como Kenski (2008; 2012), Lipovestsky e Gilles (2011), Mitter (2003), Gonnet (2004) entre outros pesquisadores. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica. Foi identificada a urgente necessidade, do alinhamento do plano pedagógico da escola a Educação Inclusiva na sua prática, com engajamento não somente de professores e equipe pedagógica, mas das famílias e das comunidades. Além disso, deve haver investimentos financeiros nestes espaços escolares para mudanças de ordem estruturais e aquisição de novos recursos tecnológicos, manutenção destes equipamentos tecnológicos, treinamento de funcionários, entre outros. Contudo, tendo como a maior de todas as mudanças, a evolução da sociedade brasileira para a inclusão e para a diversidade.


Palavras-chave


Educação Inclusiva. Tecnologias Digitais. Mídias Digitais.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 10. ed. Brasília: Senado, 1988.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - Lei n.º 9394/96. Disponível em: Acesso em: 06 dez. 2020.

BRASIL/MEC. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação inclusiva. Brasília: MEC/ SEESP, 2008. Disponível em: . Acesso em: 02 out. 2020.

BRASIL/MEC. Política Nacional de Educação Especial: Equitativa, Inclusiva e com Aprendizado ao Longo da Vida. Decreto nº 10.502, de 30 de setembro de 2020. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2020.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente - Lei nº 8.069, DE 13 de julho de 1990. Disponível em Acesso em 06 dez. 2020.

BRASIL. Lei Brasileira de Inclusão. Lei Nº 13.146 de 6 de julho de 2015. Disponível em: Acesso em 28 dez. 2020.

CAFADO, Renata. Nova política de Bolsonaro incentiva separação de alunos com deficiência. Jornal Estadão – O Estado de São Paulo. Disponível em: . Acesso em 07 dez. 2020.

GONNET, Jacques. Educação e Mídias. Ed. Loyola, São Paulo; 2004.

KENSKI, Vani Moreira. Educação e tecnologias: O novo ritmo da informação. 8. ed. Campinas, SP; Papirus, 2012.

KENSKI, Vani Moreira. Educação e Comunicação: Interconexões e Convergências. Educ. Soc, Campinas, vol. 29, n. 104 – Especial, p. 647 -665, out. 2008. Disponível em . Acesso em 05 dez. 2020.

KOELLE, Isis. Educação Inclusiva, o que é, princípio e importância. Fundação Instituto de Administração. Disponível em: . Acesso em 05 dez. 2020.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos da metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2010.

MENDES, S. R. A Formação Continuada de professores e o desafio de romper com os modelos padronizados. In: 25.ª REUNIÃO DA ANPED, 2002, Caxambu. Anais... Caxambu: ANPED, 2002. Disponível em: Acesso em: 06 dez. 2020.

MITTLER, Pitter. Educação Inclusiva: contextos sociais. Porto Alegre: Artmed, 2003.

MENDES, Rodrigo. O que é educação inclusiva? Diversa educação inclusiva na prática. Disponível em: Acesso em: 05 dez. 2020.

PÁTIO, Revista. Nova política nacional de educação especial: avanço ou retrocesso? – 05 de outubro de 2020. Disponível em: Acesso em: 08 dez. 2020.

SILVA, Scheila Maria O.C.; GOMES, Fabrícia Cristina. Tecnologias e mídias digitais no contexto escolar: Uma análise sobre a percepção dos professores. Disponível em: . Acesso: 05 dez. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Simpósio Internacional de Educação e Comunicação - SIMEDUC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.