A RÁDIO CULTURA E PAULO FREIRE NO MOVIMENTO DE EDUCAÇÃO DE BASE EM SERGIPE (1959 – 1964)

Bianca Sthephanny Martins Gomes, Cristiano Ferronato

Resumo


Essa investigação possui como principal objetivo compreender como as ideias de Paulo Freire estavam entrelaçadas com as ações de politização do Movimento de Educação de Base através da Rádio Cultura de Sergipe. Por volta de 1959, Sergipe contava com uma população média de 70% de analfabetos. O Movimento de Educação, criado por Dom José Vicente Távora, começou a atuar no Nordeste, Norte e algumas regiões do Centro-Oeste, a partir de 1961 como principio de alfabetizar a população de jovens e adultos dessas localidades e utilizando como base a experiência do Sistema Rádio-Educativo de Sergipe (SIRESE). Com isso, é possível afirmar que o Movimento teve duas fases: a primeira em 1961 quando seu principal objetivo era alfabetizar a população de jovens e adultos e a partir de 1963 quando as ideias de Paulo Freire foram integradas ao material chamado Viver é Lutar, focando na politização dos alunos. Com o Golpe Militar de 1964, o material de alfabetização foi apreendido pela polícia com a alegação de serem “cartilhas comunistas”, ao mesmo tempo em que diversos membros do Movimento eram perseguidos e apreendidos.


Palavras-chave


Alfabetização. História da Educação. Viver é Lutar.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Simpósio Internacional de Educação e Comunicação - SIMEDUC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.