Lapbook no ensino - aprendizagem sobre Direitos Humanos na Escola Estadual Marechal Castelo Branco em Uberlândia/MG.

MERIELLE MARIA RAMOS FREITAS

Resumo


No Brasil nos últimos anos surgiu na educação básica a demanda por inovações de métodos pedagógicos que contemplem o desenvolvimento da aprendizagem dos educandos, sendo assim este artigo apresenta a construção e uso de lapbooks no ensino sobre Direitos Humanos como uma inovação pedagógica, que está diretamente ligada ao aluno no centro do processo de ensino-aprendizagem. Desta forma pensando em como elaborar estratégias significativas para os alunos no ensino sobre Direitos Humanos o uso do lapbook proporciona o maior interesse na aprendizagem dos alunos por propor a reflexão sobre assuntos do seu dia-a-dia e a realidade no ambiente em que estão inseridos, sendo uma metodologia ativa que contribui para o crescimento e desenvolvimento do aluno e maior retenção de conteúdo.


Palavras-chave


Educação Básica; direitos humanos; lapbook; metodologia

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, T.; DRON, J. Três gerações de pedagogia da educação a distância. In: Revista científica EAD em foco. Rio de Janeiro, n. 2, Nov. 2012. Disponível em: https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/162/33 . Acesso em: 15 de Jan de 2021.

BHATTACHARJEE, D., PAUL, A., KIM, J. H., & KARTHIGAIKUMAR, P. (2018). An immersive learning model using evolutionary learning. Computers and Electrical Engineering, 65, 236–249. https://doi.org/10.1016/j.compeleceng.2017.08.023

BRASIL. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos – PNEDH. Brasília: Comitê Nacional em Direitos Humanos – Secretaria Especial de Direitos Humanos, 2003.

BRASIL. (c ). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: ciências naturais / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2017.

CHARLOT, B. Da relação com o saber, formação de professores e globalização: questões para a educação de hoje. Porto Alegre: Artmed, 2005.

DIESEL, A; BALDEZ, A. L. S; MARTINS, S. N. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, Pelotas, v. 14, n. 1, p. 268-288, 2017.

GOTTARDI, G & GOTTARDI, G. G; Il mio primo lapbook: Modelli e Materiali de Costruire per imparare a studiare meglio. Trento, Italy. Erickson. 2016. 280 p.

LIBÂNEO, J. C. As Teorias Pedagógicas Modernas Revisitadas pelo Debate Contemporâneo na Educação. Educação na era do conhecimento em rede e transdisciplinaridade. 2010.

MIRANDA, S. No fascínio do jogo, a alegria de aprender. Linhas Críticas. Brasília, v.8, n. 14, p. 21-34, jan./jun. 2002.

MOTA, A. R. & DA ROSA C. T. W. Ensaio sobre metodologias ativas: reflexões e propostas. Espaço Pedagógico Passo Fundo 25(2), 261-76, maio/ago. 2018

NASCIMENTO, T.E.; COUTINHO, C. Metodologias ativas de aprendizagem e o ensino de Ciências. Revista Multiciência online. Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões– Campus Santiago, 2016.

PPP- Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Marechal Castelo Branco – EEMCB, 2016.

SANTOS, D. A. S.; AGUIAR, M. G. G. O portfólio como instrumento didático: o processo de construção / constituição do“ ser professor ”. Revista Docência Ensino Superior, v. 6, n. 1, p. 91-112. 2016.

SANTOS, V. M. N. dos.; JACOBI, P. R. Formação de professores e cidadania: projetos escolares no estudo do ambiente. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.37, n.2, p. 263-278, 2011.

SILVA JÚNIOR O. R; SILVA, R. B E SILVA, V. M. M. A. Metodologias ativas no ensino de Ciências: a aplicação de atividades em grupo para estimular o aprendizado na zona de desenvolvimento proximal. Revista Vivências em Ensino de Ciências. v. 02. p. 174-180. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Simpósio Internacional de Educação e Comunicação - SIMEDUC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.