O LUGAR DAS POÉTICAS ORAIS NO COTIDIANO DE ALUNOS E ALUNAS: MEMÓRIAS, HISTÓRIAS, CANTIGAS...

Maria Sônia Mattos Silva

Resumo


O estudo tem como objetivo investigar sobre as manifestações artísticas vivenciadas no cotidiano de alunos e alunas, enfatizando as poéticas orais que são reveladas na comunidade, como as memórias, as histórias, as cantigas... e as suas implicações para o processo de ensino e aprendizagem desses sujeitos. As poéticas orais estão presentes na vida das pessoas como expressão de um estado de encantamento com a vida. Nesse sentido, enfatiza a relevância da arte para a formação dos educandos a partir da fruição da sensibilidade numa perspectiva humana. Aborda as poéticas orais vivenciadas no cotidiano através da experiência e da convivência com as pessoas da comunidade e com os familiares, carregadas de sentidos, de significados e de muitas vozes e lembranças.  O desafio é experimentar novas formas de pensar e conceber as manifestações artísticas, de criar encontros interculturais, viabilizados pelas poéticas orais no sentido de promover construções coletivas, interativas e transformadoras no contexto escolar. A pesquisa baseia-se numa abordagem metodológica qualitativa, de inspiração etnográfica e colaborativa. Traz como referencial teórico Duarte Júnior (1994, 2000) Márcio Cano (2013) Miguel Araújo (2008), Paulo Freire (2006), Solange Ferrari (2012, 2016).  Assim, espera-se que este estudo contribua para o reconhecimento e a valorização das linguagens da arte voltadas para a oralidade e também para a aproximação entre escola e comunidade, bem como para a melhoria do ensino de arte e da educação nas escolas. 

 


Palavras-chave


Manifestações artísticas; Poéticas orais; Memórias; Histórias.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Miguel Almir Lima de. Os sentidos da sensibilidade: sua fruição no fenômeno de educar. Salador: EDUFBA, 2008.

ARAÚJO, Miguel Almir Lima de. Os sentidos da arte. Coexistência entre arte e educação. Cadernos de Educação. Ano 1- jan./jun., 1998. Feira de Santana: Departamento de Educação: UEFS, 1998.

CANO, Márcio Rogério de Oliveira. (org.). História. São Paulo: Blucher, 2012.

DUARTE JÚNIOR, João-Francisco. O sentido dos sentidos: a educação (do) sensível. Tese (Doutorado) Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação. São Paulo: 2000.

DUARTE JÚNIOR, João-Francisco. Por que arte-educação? 7. ed. Campinas, SP: Papirus, 1994.

FERRARI, Solange dos Santos Utuari; et. al. Encontros com a arte e cultura. São Paulo: FTD, 2012.

FERRARI, Solange dos Santos Utuari; et. al. Arte por toda parte. 2. ed. São Paulo: FTD, 2016.

T

FERREIRA, Sueli (org.). O ensino das artes: Construindo caminhos. Campinas, SP: Papirus, 2001.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

MAFFESOLI, Michel. Elogio da razão sensível. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

MIGUEZ, Fátima. Nas arte-manhas do imaginário infantil: o lugar da literatura na sala de aula. Rio de Janeiro: Singular, 2009.

PINTO, Júlio Pimentel; TURAZZI, Maria Inez. Ensino de história: diálogos com a literatura e a fotografia. São Paulo: Moderna, 2012.

VAL, Francisca Carolina do; ROSSO, Sério. Arte e Percepção Ambiental para Funcionários da USP, no Instituto de Biociências. in: MATTAR, Sumaya; ROIPHE, Alberto (Org.). Arte e educação: ressonâncias e repercussões. Editora: São Paulo: ECA-USP, 2016.

THOMPSON, Paul. A voz do passado: história oral. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992

ZUMTHOR, Paul. Introdução à poesia oral. São Paulo: Hucitec, 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Simpósio Internacional de Educação e Comunicação - SIMEDUC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.