LEARNING WITH FUN: MÚSICA COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS PORTUGUESA E INGLESA INCLUINDO SUAS RESPECTIVAS LITERATURAS

Michele Cruz Santos de Santana

Resumo


A música é utilizada como estratégia de ensino-aprendizagem de línguas desde a Idade Média, mais precisamente, entre 476 d. C. a 1453 (GOBBI, 2001). Como efeito, o presente trabalho busca abordar de maneira central as potencialidades que a música tem enquanto estratégia significativa na sala de aula de Línguas Portuguesa e Inglesa incluindo suas respectivas literaturas. Primeiramente, enfatiza a utilização da canção como material capaz de motivar a aprendizagem de crianças, adolescentes, adultos e idosos, sendo que este recurso pode unir o ensino de línguas aos seus usos reais e à realidade do aluno. Em seguida, a música é destacada como forma de reflexão de aspectos sociais e culturais considerados importantes para a aprendizagem das disciplinas evidenciadas nesta pesquisa. Defende que a canção pode ser trabalhada de maneira semelhante ao poema, sendo que ambos são textos autênticos, isto é, produzidos por falantes nativos sem a intenção primordial de ensinar, mais estritamente, a Língua Inglesa. Mostra, ainda, que técnicas baseadas em músicas auxiliam os estudantes no desenvolvimento das quatro habilidades comunicativas (ouvir, falar, ler e escrever) da aprendizagem de Língua Estrangeira. Trata-se de um estudo de natureza qualitativa do tipo bibliográfica, embasada em revisão de literaturas que abordam a temática proposta. Como resultado, esta investigação constata que, por meio da música, é possível integrar motivação, aprendizado significativo e letramento crítico nas aulas de Línguas Portuguesa e Inglesa, incluindo suas respectivas literaturas. 

Palavras-chave


Ensino-aprendizagem; Línguas; Literatura; Música; Recurso metodológico

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Celso. Como desenvolver conteúdos explorando as inteligências múltiplas. Fascículo 3. Petrópolis: Vozes, 2001.

BRASIL, Secretaria de Educação Básica. Orientações curriculares para o ensino médio. v. 1. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEB, 2006.

BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua estrangeira. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Terceira versão. Brasília: MEC, 2017.

BROWN, H. Douglas. English Language Teaching in the “Post-Method” Era: Toward Better Diagnosis, Treatment, and Assessment. In: RICHARDS, J. C.; RENANDYA, W. A. Methodology in Language Teaching: An Anthology of Current Practice. New York: Cambridge, 2002. p. 9-18.

BYRAM, Michael; GRIBKOVA, Bella; STARKEY, Hugh. Developing the intercultural dimension in language teaching: a practical introduction for teachers. Strasbourg: Council of Europe, 2002.

DONNINI, Lívia; PLATERO, Luciana; WEIGEL, Adriana. Ensino de Língua Inglesa. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 28. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GOBBI, Denise. A música enquanto estratégia de aprendizagem no ensino de língua inglesa. 2001. 133 f. Dissertação (Mestrado Interinstitucional em Estudos da Linguagem). Universidade de Caxias do Sul e Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001.

HOLDEN, Susan; ROGERS, Mickey. O ensino da língua inglesa. São Paulo: Special Book Services, 2001.

JORDÃO, Clarissa Menezes. No tabuleiro da professora tem... Letramento crítico? In: JESUS, Dánie Marcelo de; CARBONIERI, Divanize (Orgs.). Práticas de multiletramentos e letramento crítico: outros sentidos para a sala de aula de línguas. Coleção: Novas perspectivas em Linguística Aplicada Vol. 47. Campinas, SP: Pontes Editores, 2016. p. 41-53.

JUSTO, Márcia Adriana Pinto da Silva; RUBIO, Juliana de Alcântara Silveira. Letramento: O uso da leitura e da escrita como prática social. Revista Eletrônica Saberes da Educação, São Roque SP, v. 4, n. 1, 2013.

KAWACHI, Cláudia Jotto. A música como recurso didático-pedagógico na aula de língua inglesa da rede pública de ensino. 2008. 142 f. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar). Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São Paulo, 2008.

KUMARAVADIVELU, B. Beyond Methods: Macrostrategies for Language Teaching. United States of America: Yale University Press, 2003.

LEFFA, Vilson J. Metodologia do ensino de línguas. In BOHN, H. I.; VANDRESEN, P. Tópicos em lingüística aplicada: O ensino de línguas estrangeiras. Florianópolis: Ed. da UFSC, 1988. p. 211-236.

LEFFA, Vilson J. Produção de materiais de ensino: teoria e prática. 2. ed. Pelotas: EDUCAT, 2007.

LIMA, Diógenes Cândido de. O ensino de língua inglesa e a questão cultural. In: LIMA, Diógenes Cândido de (Org.). Ensino e Aprendizagem de Língua Inglesa: conversas com especialistas. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

LIMA, Luciano Rodrigues. O uso de canções no ensino de inglês como língua estrangeira: a questão cultural. In: MOTA, Kátia; SCHEYERL, Denise. (Org.). Recortes interculturais na sala de aula de línguas estrangeiras. Salvador: EDUFBA, 2004.

p. 173-192.

MATTOS, Andréa Machado de Almeida; VALÉRIO, Kátia Modesto. Letramento crítico e ensino comunicativo: lacunas e interseções. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 10, n. 1, p. 135-158, 2010.

NUNES, Ana Ignez Belém Lima; SILVEIRA, Rosemary do Nascimento. Psicologia da Aprendizagem: processos, teorias e contextos. 3. ed. Brasília: Liber Livro, 2011.

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Métodos de ensino de inglês: teorias, práticas, ideologias. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

PAPERBACK OXFORD ENGLISH DICTIONARY. 7. ed. Great Britain: Oxford University Press, 2012.

PEREIRA, Paula Graciano. Reflexões Críticas sobre o Ensino-Aprendizagem de Inglês como fator de Inclusão ou Exclusão Social. Brazilian English Language Teaching Journal, Porto Alegre, v. 6, n. 1, p. 12-28, jan.-jun. 2015.

ROCHA, Cláudia Hilsdorf; BASSO, Edcleia Aparecida. Ensinar e aprender língua estrangeira nas diferentes idades: reflexões para professores e formadores. São Carlos: Editora Claraluz, 2008.

SILVA, Lorena Norberta da. Além do “fill in the blanks”: a música e o ensino de Língua Inglesa na perspectiva do letramento crítico. 2016. 144 f. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística). Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Simpósio Internacional de Educação e Comunicação - SIMEDUC

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.