Animais silvestres como reservatórios de infecções parasitárias

Matheus Alves Messias, Fabio Menezes Valença, Claudia Moura de Melo, Rubens Riscala Madi

Resumo


O desmatamento de florestas naturais é um fator importante que influencia no êxodo de animais silvestres para zonas de urbanização, saindo de seus habitats naturais para ocupar centros urbanos. O grande aumento populacional desses seres pode trazer consigo uma série de problemas de saúde para as populações locais, vinculados às mudanças ambientais provocadas por esse crescimento em meio de equilíbrio frágil. Esse êxodo faz com que os animais atuem como reservatórios de infecções parasitárias silvestres, introduzindo o homem no ciclo dessas parasitoses. Este projeto pretendeu estudar a ocorrência de infecções parasitárias em mamíferos silvestres de pequeno e médio porte no Povoado Estiva, e posteriormente na Floresta Nacional do Ibura, ambos situados no município de Nossa Senhora do Socorro, SE. Para tanto foram colocadas armadilhas do tipo Sherman e Tomahawk (arame galvanizado), para a captura dos animais em pontos pré-determinados, utilizando como isca uma massa composta por: banana, fubá, farinha láctea, leite em pó e essência de baunilha. Inicialmente as armadilhas foram expostas no povoado Estiva, fora dos limites da Flona e posteriormente dentro da mesma, logo após a liberação do ICMBio (nº 29872). Ao longo desse processo na tentativa de captura dos animais, houve algumas dificuldades como o furto das armadilhas no povoado Estiva e a presença de pessoas estranhas à administração da Flona, fatos que apressaram a mudança total da área de trabalho Tanto no povoado quanto na Floresta Nacional, não foi obtido êxito na captura dos animais, tendo como possíveis motivos: presença de animais domésticos, que representavam possíveis predadores aos animais e presença constate de transeuntes na mata. Decidiu-se, então, expor as armadilhas dentro do campus Unit Farolândia, onde é visualizada constantemente a presença de roedores e marsupiais. Até o presente momento foram capturados 12 animais da espécie Didelphis albiventris, dos quais foram obtidos dados biométricos para a identificação e acompanhamento individual, e coletadas as fezes, para a realização do exame parasitológico. Até o momento foram encontrados ovos de parasitas das famílias Ascaridiidae, Trichuridae e larvas de Ancilostomatídeos, todos do Filo Nematoda. Os animais, após a coleta do material biológico, são fotodocumentados e soltos. Espera-se como resultado obter uma lista das espécies silvestres que, por efeito da urbanização, transitam entre o ambiente antrópico e silvestre, determinando o papel desses animais como reservatórios de infecções parasitárias e sua importância como disseminador dessas infecções.

Palavras-chave


Animais. Infecções. Parasitologia.

Referências


GUIMARAES, A. O. Infecções Parasitárias e Fúngicas em Roedores Sinantrópicos Coletados em Áreas de Expansão Urbana, Aracaju/SE. Tese de Mestrado em Saúde e Ambiente. Aracaju: Universidade Tiradentes.2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Sempesq