HOSPITALIZAÇÃO POR LESÕES AUTOPROVOCADAS NO MUNICÍPIO DE ARACAJU

Yasmin Almeida Lima, Felipe da Cruz Lima, Letícia Aragão Andrade, Daniele Martins de Lima Oliveira, Maria Pureza Ramos de Santa Rosa

Resumo


O suicídio encontra-se entre as três principais causas de mortes no mundo, sendo responsável anualmente por cerca de um milhão de óbitos. No Brasil, o índice alcança 27 mortes por dia, sendo sua maior propensão homens. Esse tipo de violência ocorre quando a pessoa inflige a si, podendo ser subdividida em comportamento suicida e autoagressão. Tal lesão é multifatorial, abrangendo aspectos socioculturais e econômicos, distúrbios de cunho psicológico e uso de drogas. Nesse contexto é correto afirmar que os transtornos mentais são primordiais ao suicídio são exemplos a depressão e o transtorno bipolar, além disso a esquizofrenia, doença psíquica caracterizada por pensamentos e experiências que parecem não ter contato com a realidade, atua como forte fator de risco para esse problema, geralmente esses aspectos agem em conjunto trazendo uma série de complicações ao indivíduo. A problemática decorre de vários fatores, variando muito de um país para outro, dependendo dos seus padrões culturais, os meios mais utilizados para se realizar essa prática é o enforcamento, a intoxicação por gases e o envenenamento por pesticidas. No Brasil, a maioria dos casos acontecem em domicílio, sendo seguidos do ambiente hospitalar devido à falta de segurança presentes nesses ambientes, e geralmente são provenientes do uso de armas de fogo e enforcamentos. OBJETIVO: Avaliar a prevalência de lesões autoprovocadas (das diversas causas) no município de Aracaju, durante período de 2008 a 2018.

Palavras-chave


Suicídio; Tentativa de Suicídio; Depressão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.