CONDIÇÕES DE TRABALHO: percepção da qualidade do ambiente de trabalho por profissionais da saúde

Fernanda de Jesus Santos, Dalva Eloiza Santos Silva, Tyrzah Raysa Pereira Leite, Luana Lima de Jesus, Hertaline Menezes do Nascimento Rocha

Resumo


INTRODUÇÃO: O trabalho pode ser conceituado como o exercício da atividade humana, aplicação de energia física em algum serviço, numa profissão ou ocupação. E como toda ação humana, as atividades laborais, via de regra, é acompanhada pela insatisfação, onde as condições de trabalho (CT) têm papel importante não só nas atividades desenvolvidas pelos trabalhadores como também em sua saúde.  Diante disto, observa-se a importância de estudar sobre esta temática direcionada aos profissionais da saúde. OBJETIVO: Avaliar a percepção dos trabalhadores sobre as condições de trabalho e qualidade do ambiente de trabalho. METODOLOGIA: Estudo quantitativo, transversal e descritivo, realizado com 21 profissionais de saúde de uma maternidade filantrópica de pequeno porte localizada em um município do interior Sergipano. Como instrumento para coleta de dados utilizou-se o Safety Attitudes Questionnaire (SAQ) para análise do domínio: “Condições de Trabalho: percepção da qualidade do ambiente de trabalho”. Os dados foram tabulados no Microsoft Office Excel (2010) e importados para o software IBM® SPSS - Statistical Package for the Social Sciences, versão 20 para Windows e analisados a partir de técnicas univariada e bivariada. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa envolvendo seres humanos da Universidade Federal de Sergipe (CEP-UFS) sob o parecer: 1.313.955. Seguindo as diretrizes e normas regulamentadoras preconizadas na Resolução n. 466/12 do Conselho Nacional de Saúde. RESULTADOS: Quanto à caracterização dos participantes da pesquisa, a média de idade dos participantes foi de 34,7 anos (desvio padrão = 10), sendo 27 a mínima e 52 a máxima, suma maioria do sexo feminino (95,2%; n=20). No que se refere a categoria profissional a maioria dos participantes era técnico de enfermagem (61,9%) seguido do profissional enfermeiro com (23,8%). Quanto ao direcionamento para as condições de trabalho, 81% (n=17) considerou que o hospital faz um bom trabalho no treinamento de novos membros da equipe, 61,9% (n=13) refere que toda informação necessária para decisões diagnósticas e terapêuticas está disponível rotineiramente para si, 81% (n=17) revelam que estagiários são adequadamente supervisionados e 85,7% (n=18) informa que vivencia e boa colaboração com os (as) enfermeiros (as) nesta área. De acordo com a avaliação SAQ, o domínio Condições de Trabalho apresentou média igual à 78,8 pontos, ou seja, uma avaliação positiva conforme o escore deste instrumento. CONCLUSÃO: As condições de trabalho são inerentes a todo processo laboral e pode influenciar de forma tanto positiva quanto negativa. Estar em consonância com os profissionais, com estagiários, ou seja, com toda a equipe reflete em melhoria das CT e como isto o presente estudo, demonstra que há uma boa satisfação com as condições trabalho por parte dos profissionais envolvidos.


Palavras-chave


Equipe de Assistência ao Paciente. Satisfação no Emprego. Equipe de Enfermagem.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.