ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O PRÉ-NATAL DO PARCEIRO EM UM MUNICÍPIO DO NORDESTE BRASILEIRO

Jaqueline Guimarães Elói de Brito, José Marcos de Jesus Santos, Iellen Dantas Campos Verdes Rodrigues, Andreia Freire de Menezes, Rosemar Barbosa Mendes

Resumo


INTRODUÇÃO: O Ministério da Saúde considera que o envolvimento consciente dos homens – independentemente de ser pai biológico ou não – durante o acompanhamento pré-natal pode ser determinante para a criação e/ou fortalecimento de vínculos afetivos saudáveis entre eles e suas parceiras e/ou filhos. Nesse sentido, em 2016, estabeleceu as atividades preventivas e diagnósticas que devem ser oferecidas aos parceiros da gestante neste processo. OBJETIVO: Avaliar as atividades oferecidas ao parceiro da gestante durante o acompanhamento pré-natal em um município do Nordeste brasileiro. METODOLOGIA: Estudo quantitativo e transversal, com abordagem descritiva, realizado entre os meses de fevereiro e julho de 2017 com 655 puérperas durante a internação hospitalar na maternidade Zacarias Júnior em Lagarto, Sergipe, Brasil. A coleta dos dados ocorreu por meio de entrevista face a face no pós-parto imediato. Para análise estatística foi utilizada a técnica univariada para obtenção dos valores das frequências absoluta e relativa no IBM® SPSS - Statistical Package for the Social Sciences 20.0 Mac (SPSS 20.0 Mac, SPSS Inc., Chicago, Illinois, EUA). Esse estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe com o seguinte CAAE: 48582015.8.0000.5546. Os pesquisadores seguiram as diretrizes e normas regulamentadoras preconizadas na Resolução nº 466/12 do Conselho Nacional de Saúde sobre pesquisas envolvendo seres humanos. RESULTADOS: A realização do pré-natal foi referida por 99,2% (n= 650) das entrevistadas. Dentre estas (n= 650), somente 40,9% (n= 266) tiveram a presença total ou parcial do parceiro durante seu acompanhamento gestacional. As atividades oferecidas aos parceiros destas gestantes foram: incentivo à participação nas ações educativas, consultas e exames da mulher (51,8%; n= 138), orientação sobre seu direito de acompanhá-la na parturição (40,6%; n= 108), realização de testes rápidos e/ou exames de rotina (29,3%; n= 78) e atualização do cartão vacinal (17,7%; n= 47). CONCLUSÃO: A oferta de atividades ao parceiro da gestante nas consultas de pré-natal ainda se encontra aquém do recomendado pelo Ministério da Saúde.


Palavras-chave


Saúde do Homem. Cuidado Pré-Natal. Gestantes.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.