ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM DURANTE A REALIZAÇÃO DO CURATIVO DOS CATÉTERES VENOSOS CENTRAIS

Jonas Santana Pinto

Resumo


INTRODUÇÃO: As infecções primárias da corrente sanguínea estão entre as mais comumente associadas à assistência à saúde e são responsáveis por maior tempo de permanência de pacientes nos hospitais, maior mortalidade e aumento dos custos. Os cateteres vasculares centrais são considerados fatores de risco para estas infecções e a inobservância de práticas seguras durante o manuseio destes dispositivos podem ser fatores agravantes para estas complicações. OBJETIVO: O presente estudo objetivou avaliar a conformidade das práticas assistenciais da equipe de enfermagem envolvendo o manuseio do cateter vascular central durante a realização do curativo. METODOLOGIA: Estudo descritivo, prospectivo, observacional realizado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital público no Estado de Sergipe. Amostra intencional, não-probabilística, composta por 267 oportunidades de observação das práticas assistências envolvendo o curativo de cateter vascular central. Teve-se como critério de inclusão a observação da realização de curativos na UTI selecionada realizada por profissionais Enfermeiros. O período de coleta de dados foi de janeiro a março de 2016, a partir da observação direta dos procedimentos. O instrumento foi um questionário tipo checklist, estruturado, elaborado para esta finalidade, com base no Guideline for Prevention of Intravacular cateter-related infections, que apresentava onze ações específicas para avaliação da adesão às práticas de prevenção das infecções associadas ao cateter vascular central. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva. Certificado de Apresentação para Apreciação Ética número 50544115.9.0000.5546, ressalta-se que todos os profissionais deram anuência para participar da pesquisa. RESULTADOS: As taxas de conformidade avaliadas conforme o Índice de Positividade de Carter, para esta pesquisa foi estabelecido   como   conformidade   um   Índice igual ou maior que 80%, que corresponde a uma assistência segura. Realizadas 267 observações de curativos de acesso venoso central, em sua maioria executadas por profissionais do sexo feminino, 235 (88,01%), e distribuídos igualmente para cada turno de trabalho (manhã, tarde e noite). Das 11 ações específicas observadas durante o procedimento, 8 (72%) apresentaram conformidade maior que 80%, a seguir: uso de máscara comum e luvas estéreis, higieniza as mãos após o curativo, registra o procedimento e obedece a periodicidade de troca da cobertura. Destaca-se que, a utilização de solução alcoólica para antissepsia do sítio de inserção do cateter vascular central e a utilização de cobertura estéril foram realizadas em todas as práticas observadas. A ação que apresentou menor conformidade foi a higienização das mãos antes do preparo do material e antes de realizar o curativo, resultado que mostra sérias fragilidades, considerando ser a medida mais simples e eficaz para o controle das infecções (4). Apesar de algumas ações atingirem a conformidade máxima (100%), a falha ou não execução em alguma das etapas dos procedimentos realizados comprometem a prática assistencial. CONCLUSÃO: Conclui-se que existem lacunas entre a prática realizada pelos profissionais. Chama atenção a falta de adesão a HM, apesar de ser a medida mais simples para evitar contaminações cruzadas. Frente aos resultados faz-se necessária a implantação de estratégias para a prevenção e controle das infecções associadas a estes dispositivos favorecendo a política nacional de segurança do paciente.

 


Palavras-chave


Cuidados de enfermagem. Enfermagem. Avaliação de processos. Gestão da qualidade. Segurança do paciente.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.