RAZÕES DA PREFERÊNCIA INICIAL DA MULHER PELO PARTO VAGINAL

Bárbara Maria Silva Costa, José Marcos de Jesus Santos, Maria Socorro Claudino Barreiro, Carla Kalline Alves Cartaxo Freitas, Rosemar Barbosa Mendes

Resumo


INTRODUÇÃO: O Brasil ainda se destaca no cenário mundial em relação à decisão pela via de parto, com mais da metade dos nascimentos ocorrendo por via cirúrgica/cesariana, em sua maioria eletiva. Dados recentes de um estudo nacional realizado com 11.074 puérperas proporcionalmente distribuídas entre todas as regiões do país mostraram que, embora 72,3% delas tenham referido o desejo pelo parto vaginal no início da gravidez, a cesariana foi realizada em 55,4% do total dessa amostra. Nesse sentido, ressalta-se a necessidade de haver o respeito às preferências da parturiente e à sua fisiologia, evitando intervenções desnecessárias e reconhecendo os aspectos culturais e emocionais do parto e nascimento. OBJETIVO: Conhecer as razões da preferência materna pelo parto vaginal no início da gravidez. METODOLOGIA: Estudo quantitativo e transversal, com abordagem descritiva, realizado entre os meses de fevereiro e julho de 2017 com 655 puérperas durante a internação hospitalar na maternidade Zacarias Júnior em Lagarto, Sergipe, Brasil. A coleta dos dados ocorreu por meio de entrevista face a face no pós-parto imediato. Para análise estatística foi utilizada a técnica univariada para obtenção dos valores das frequências absoluta e relativa no IBM® SPSS - Statistical Package for the Social Sciences 20.0 Mac (SPSS 20.0 Mac, SPSS Inc., Chicago, Illinois, EUA). Esse estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe com o seguinte CAAE: 48582015.8.0000.5546. Os pesquisadores seguiram as diretrizes e normas regulamentadoras preconizadas na Resolução nº 466/12 do Conselho Nacional de Saúde sobre pesquisas envolvendo seres humanos. RESULTADOS: Do total de puérperas entrevistadas (n= 655), 73% (n= 478) referiram a preferência pelo parto vaginal no início da gravidez. Dentre estas (n= 478), as razões da escolha foram: melhor recuperação no pós-parto (89,5%; n= 428), desejo pessoal (30,5%; n= 146), medo da cirurgia/cesariana (15,3%; n= 73) e história familiar/amigas (12,3%; n= 59). CONCLUSÃO: Foi evidenciada elevada preferência materna pelo parto vaginal no início da gravidez, tendo como principais razões a melhor recuperação no pós-parto e o seu desejo pessoal.


Palavras-chave


Gestantes; Parto Normal; Preferência do Paciente.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.