SÍFILIS CONGÊNITA EM UM MUNICÍPIO DO CENTRO-SUL SERGIPANO: um estudo epidemiológico retrospectivo.

Gabryelle Souza Fontes, Dalva Eloiza Santos Silva, Eric de Almeida Santos, Paulo Vinicius Santos Fraga, Carlos Carvalho da Silva

Resumo


A sífilis é uma patologia de caráter infeccioso, endêmica no Brasil, sua forma transplacentária é resultado da disseminação hematogênica da bactéria, chegando ao bebê por via transplacentária. Tratada ainda na Atenção Básica, com fácil acesso e tratamento rápido. O presente trabalho, objetiva avaliar a prevalência e incidência da sífilis em um município do centro-sul sergipano, nos anos de 2013 a 2017. Trata-se de uma estudo epidemiológico, retrospectivo, transversal com abordagem quantitativa. Os dados utilizados foram coletados através do Sistema Nacional de Agravos e Notificação, e trabulados e tratados através do Tabwin e Microsoft Excel. Mediante os dados, é verificável que a patologia é incidente no município de estudo, mais prevalente em crianças do sexo feminino, pardas, filhos de mães moradoras da zona urbana, pardas, com idade média de 23,9 anos e Ensino Fundamental Completo. Para tanto, é preciso melhorar a qualidade do atendimento oferecido na atenção básica, facilitando e qualificando o diagnóstico e garantindo o tratamento efetivo, afim de reduzir o número de agravos.

Palavras-chave


Sífilis Congênita. Transmissão vertical de Doença Infecciosa. Epidemiologia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.