A RELAÇÃO DA RAÇA/COR EM VÍTIMAS DE HOMICÍDIO EM SERGIPE NO ANO DE 2015

Autores

  • José Hunaldo de Oliveira Júnior Universidade Tiradentes
  • Ana Caroline Almeida do Nascimento
  • Jefferson Felipe Calazans Batista
  • Wolney Sandy Santos Lima
  • Márcio Lemos

Palavras-chave:

Causas externas, Homicídio, Mortalidade, Violência.

Resumo

INTRODUÇÃO: As mortes por causas externas representam um problema de saúde e segurança pública, sendo considerado um grande desafio para o país. Por vezes esses homicídios estão relacionados a uma simples característica da vítima, a raça/cor. Este estudo tem como objetivo identificar, quantificar e analisar a taxa de homicídios em relação à raça/cor em Sergipe no ano de 2015. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo ecológico de caráter quantitativo descritivo, sendo utilizado dados do DataSUS e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. RESULTADOS: As mortes por causas externas determinaram perdas de 12.684 só nos quatros estados escolhidos para este estudo, sendo que as maiores vítimas desses homicídios foram da raça/cor parda, com 10.446 mortes. CONCLUSÃO: Os resultados mostraram que Sergipe é o estado mais violento entre os outros três elencados para este estudo e que a taxa de homicídio que predomina é a raça/cor parda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Hunaldo de Oliveira Júnior, Universidade Tiradentes

Enfermagem - Saúde

Downloads

Publicado

2019-01-07

Como Citar

de Oliveira Júnior, J. H., Almeida do Nascimento, A. C., Calazans Batista, J. F., Santos Lima, W. S., & Lemos, M. (2019). A RELAÇÃO DA RAÇA/COR EM VÍTIMAS DE HOMICÍDIO EM SERGIPE NO ANO DE 2015. 2° Congresso Nacional De Enfermagem - CONENF, 1(1). Recuperado de https://eventos.set.edu.br/conenf/article/view/9434

Edição

Seção

Linha Saúde Coletiva