CONDIÇÕES DE TRABALHO: percepção da qualidade do ambiente de trabalho por profissionais da saúde

Autores

  • Fernanda de Jesus Santos Hospital Universitário de Lagarto
  • Dalva Eloiza Santos Silva Universidade Federal de Sergipe
  • Tyrzah Raysa Pereira Leite Universidade Federal de Sergipe
  • Luana Lima de Jesus Universidade Federal de Sergipe
  • Hertaline Menezes do Nascimento Rocha

Palavras-chave:

Equipe de Assistência ao Paciente. Satisfação no Emprego. Equipe de Enfermagem.

Resumo

INTRODUÇÃO: O trabalho pode ser conceituado como o exercício da atividade humana, aplicação de energia física em algum serviço, numa profissão ou ocupação. E como toda ação humana, as atividades laborais, via de regra, é acompanhada pela insatisfação, onde as condições de trabalho (CT) têm papel importante não só nas atividades desenvolvidas pelos trabalhadores como também em sua saúde.  Diante disto, observa-se a importância de estudar sobre esta temática direcionada aos profissionais da saúde. OBJETIVO: Avaliar a percepção dos trabalhadores sobre as condições de trabalho e qualidade do ambiente de trabalho. METODOLOGIA: Estudo quantitativo, transversal e descritivo, realizado com 21 profissionais de saúde de uma maternidade filantrópica de pequeno porte localizada em um município do interior Sergipano. Como instrumento para coleta de dados utilizou-se o Safety Attitudes Questionnaire (SAQ) para análise do domínio: “Condições de Trabalho: percepção da qualidade do ambiente de trabalho”. Os dados foram tabulados no Microsoft Office Excel (2010) e importados para o software IBM® SPSS - Statistical Package for the Social Sciences, versão 20 para Windows e analisados a partir de técnicas univariada e bivariada. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa envolvendo seres humanos da Universidade Federal de Sergipe (CEP-UFS) sob o parecer: 1.313.955. Seguindo as diretrizes e normas regulamentadoras preconizadas na Resolução n. 466/12 do Conselho Nacional de Saúde. RESULTADOS: Quanto à caracterização dos participantes da pesquisa, a média de idade dos participantes foi de 34,7 anos (desvio padrão = 10), sendo 27 a mínima e 52 a máxima, suma maioria do sexo feminino (95,2%; n=20). No que se refere a categoria profissional a maioria dos participantes era técnico de enfermagem (61,9%) seguido do profissional enfermeiro com (23,8%). Quanto ao direcionamento para as condições de trabalho, 81% (n=17) considerou que o hospital faz um bom trabalho no treinamento de novos membros da equipe, 61,9% (n=13) refere que toda informação necessária para decisões diagnósticas e terapêuticas está disponível rotineiramente para si, 81% (n=17) revelam que estagiários são adequadamente supervisionados e 85,7% (n=18) informa que vivencia e boa colaboração com os (as) enfermeiros (as) nesta área. De acordo com a avaliação SAQ, o domínio Condições de Trabalho apresentou média igual à 78,8 pontos, ou seja, uma avaliação positiva conforme o escore deste instrumento. CONCLUSÃO: As condições de trabalho são inerentes a todo processo laboral e pode influenciar de forma tanto positiva quanto negativa. Estar em consonância com os profissionais, com estagiários, ou seja, com toda a equipe reflete em melhoria das CT e como isto o presente estudo, demonstra que há uma boa satisfação com as condições trabalho por parte dos profissionais envolvidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-01-07

Como Citar

de Jesus Santos, F., Silva, D. E. S., Pereira Leite, T. R., Lima de Jesus, L., & Menezes do Nascimento Rocha, H. (2019). CONDIÇÕES DE TRABALHO: percepção da qualidade do ambiente de trabalho por profissionais da saúde. 2° Congresso Nacional De Enfermagem - CONENF, 1(1). Recuperado de https://eventos.set.edu.br/conenf/article/view/9390

Edição

Seção

Linha Assistencial