DIABETES MELLITUS: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA APÓS PARTICIPAÇÃO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE

Autores

  • Thaynara Silva dos Anjos Universidade Federal de Sergipe
  • Jéssica Oliveira da Cunha Universidade Federal de Sergipe
  • Gabriela Menezes Gonçalves de Brito Universidade Federal da Bahia
  • Cristiane Franca Lisboa Goes Universidade Federal de Sergipe
  • Liudmila Myiar Otero Universidade Federal de Sergipe

Palavras-chave:

Diabetes Mellitus tipo 2. Qualidade de Vida. Educação em saúde.

Resumo

INTRODUÇÃO: O Diabetes Mellitus (DM) é uma doença crônica que apresenta elevada e crescente prevalência, morbimortalidade associada, e compromete negativamente a qualidade de vida (QV) do indivíduo em vários aspectos. Nesse sentido, a educação em saúde pode contribuir, melhorando a QV em vários dos seus domínios. OBJETIVO: Avaliar a QV de indivíduos com DM tipo 2 após seis meses de participação em programa educativo. MÉTODO: estudo descritivo de abordagem quantitativo desenvolvido no Ambulatório do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe com 32 indivíduos que são acompanhados por equipe multiprofissional composta por médico, enfermeiro e nutricionista. Esses indivíduos, além de serem acompanhados por esses profissionais, também participaram de programa educativo para o DM durante seis meses. Para a coleta de dados foram utilizados três instrumentos, um para a caracterização sociodemográfica e dois para avaliação da QV, o WHOQOL-bref e o B-PAID. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe, CAAE 37894414.2.0000.5546. RESULTADOS: Seis meses após terem participado de programa educativo para o DM foi observado aumento do sofrimento em viver com a doença, assim como diminuição da QV, sobretudo nos domínios Relações sociais e Ambiente. Também foi identificada correlação positiva e estatisticamente significativa (p<0,05) entre o sexo e o WHOQOL-bref, com os homens tendo apresentado melhor avaliação. CONCLUSÃO: O aumento do sofrimento em viver com o DM e o declínio da QV parece estar associado à falta de participação em atividades de educação em saúde. Assim, sugere-se que programa educativo permanente é essencial para acompanhamento contínuo de indivíduos com DM, fortalecendo-o no enfrentamento do problema, no autocuidado e, consequentemente, na melhora da QV. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2019-01-07

Como Citar

Anjos, T. S. dos, Cunha, J. O. da, Brito, G. M. G. de, Goes, C. F. L., & Otero, L. M. (2019). DIABETES MELLITUS: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA APÓS PARTICIPAÇÃO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE. 2° Congresso Nacional De Enfermagem - CONENF, 1(1). Recuperado de https://eventos.set.edu.br/conenf/article/view/9344

Edição

Seção

Linha Saúde Coletiva