CULTURA DE SEGURANÇA DO PACIENTE EM UMA MATERNIDADE DE RISCO HABITUAL: Análise da Percepção do Estresse

Autores

  • FERNANDA DE JESUS SANTOS HOSPITAL REGIONAL DE LAGARTO
  • JAMYLLE CATARINA PASSOS CARREGOSA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE
  • ANNY CAROLINE SANTOS ALMEIDA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE
  • LUANA LIMA DE JESUS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE
  • HERTALINE MENEZES DO NASCIMENTO ROCHA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Palavras-chave:

Esgotamento Profissional, Assistência à Saúde, Saúde do Trabalhador.

Resumo

INTRODUÇÃO: Algumas profissões, como as da área da saúde, são vistas como mais estressantes que outras. A precariedade nas condições de trabalho, carga de trabalho excessiva, longas jornadas, conflitos entre a equipe e o cansaço são considerados fatores desencadeadores do estresse. Diante disso, sabe-se que o estresse ocupacional é caracterizado por quatro fases: reação de alarme, resistência, quase-exaustão e exaustão. OBJETIVO: Compreender como os fatores estressores podem influenciar na execução do trabalho dos profissionais de saúde. METODOLOGIA: Estudo quantitativo, transversal e descritivo. A pesquisa foi realizada em uma maternidade filantrópica de pequeno porte localizada em um município do interior Sergipano. A amostra foi de 21 profissionais de saúde. Como instrumento para coleta de dados utilizou-se o Safety Attitudes Questionnaire (SAQ) para análise do domínio: Percepção do Estresse. Para efetivação deste estudo, foram respeitados todos os preceitos éticos determinados pela Resolução n. 196/96 do Conselho Nacional de Saúde, por meio do cumprimento das exigências do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE).  A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa envolvendo seres humanos da Universidade Federal de Sergipe (CEP-UFS) sob o parecer: 1.313.955. Os dados foram tabulados no Microsoft Office Excel (2010) e importados para o software IBM® SPSS - Statistical Package for the Social Sciences, versão 20 para Windows e analisados a partir de técnicas univariada e bivariada. RESULTADOS: Dos participantes da pesquisa, 95,2% era do sexo feminino. A média de idade entre eles foi de 34,7 anos. Quanto a categoria profissional técnicos de enfermagem representaram 61,9%, profissional de Enfermagem 23,8%. Em relação ao tempo de exercício profissional 61,9% dos competentes tinha um tempo de atuação de até 5 anos. No que concerne a percepção do estresse 85,7% afirmaram que a carga de trabalho excessiva prejudicava o desempenho laboral, 95,2% dos participantes alegaram ser menos eficiente no trabalho quando se sentem cansados. Além disso, 80,9% declararam que o cansaço prejudica o desempenho durante situações de emergência, enquanto 71,5% reiteraram haver uma maior probabilidade de cometer erros em situações tensas e hostis. De acordo com a avaliação do SAQ, observou-se que a Percepção do Estresse obteve média superior a 75 pontos, isto é, apresentaram uma avaliação positiva no escore do instrumento utilizado. CONCLUSÃO: Apesar do domínio Percepção do Estresse tenha atingido o escore necessário para a promoção de uma cultura de segurança do paciente positiva, elucidou aspectos importantes a serem trabalhados na instituição para que a qualidade da assistência esteja ligada diretamente com o grau de satisfação profissional dos envolvidos no processo.

 

Palavras-chave: Esgotamento Profissional. Assistência à Saúde. Saúde do Trabalhador. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

FERNANDA DE JESUS SANTOS, HOSPITAL REGIONAL DE LAGARTO

Enfermeira

JAMYLLE CATARINA PASSOS CARREGOSA, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Departamento de Enfermagem

ANNY CAROLINE SANTOS ALMEIDA, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Discente de Enfermagem

LUANA LIMA DE JESUS, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Discente de Enfermagem

HERTALINE MENEZES DO NASCIMENTO ROCHA, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

DOCENTE DE ENFERMAGEM - UFS

Referências

LINCH, G.F.C; GUIDO, L.A; UMANN, J. Estresse e profissionais da saúde: produção do conhecimento no centro de ensino e pesquisas em enfermagem. Santa Maria, p. 542-547. 2010.

LIPP, M. E. N. Manual do Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp (ISSL). São Paulo: Casa do Psicólogo, 76p. 2000.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2019-01-07

Como Citar

SANTOS, F. D. J., CARREGOSA, J. C. P., ALMEIDA, A. C. S., JESUS, L. L. D., & ROCHA, H. M. D. N. (2019). CULTURA DE SEGURANÇA DO PACIENTE EM UMA MATERNIDADE DE RISCO HABITUAL: Análise da Percepção do Estresse. 2° Congresso Nacional De Enfermagem - CONENF, 1(1). Recuperado de https://eventos.set.edu.br/conenf/article/view/9319

Edição

Seção

Linha Assistencial