PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DAS INTERNAÇÕES E ÓBITOS POR INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO NO ESTADO DE SERGIPE

Autores

  • Joice Paula Nascimento Santos Universidade Federal de Sergipe
  • Jamylle Catarina Passos Carregosa Universidade Federal de Sergipe
  • Ariana Silva Ribeiro Universidade Federal de Sergipe
  • Bárbara Maria Silva Costa Universidade Federal de Sergipe
  • Shirley Verônica Melo Almeida Lima Universidade Federal de Sergipe

Palavras-chave:

Síndrome coronariana aguda, Infarto do miocárdio, Perfil de Saúde.

Resumo

INTRODUÇÃO: O infarto agudo do miocárdio (IAM) é caracterizado pela lesão permanente de uma área do miocárdio, que geralmente ocorre após a ruptura de uma placa e consequente formação de trombo, o que resulta na oclusão completa da artéria. Apesar de contar com fatores evitáveis, acomete milhões de pessoas anualmente em todo o mundo e é uma das principais causas de morte. OBJETIVO: Descrever o perfil epidemiológico das internações hospitalares e óbitos por IAM no estado de Sergipe. METODOLOGIA: Estudo descritivo com abordagem quantitativa, baseado em dados do Sistema de Informação hospitalar do estado de Sergipe, no período de 2010 a 2017. As variáveis analisadas foram: lista de morbidade CID-10: Infarto agudo do miocárdio, ano de atendimento, sexo, faixa etária, internações e óbitos. Para análise dos dados obtidos foi utilizado o software Excel (Microsoft®).  O estudo em questão foi realizado com dados de domínio público, sem identificação dos sujeitos, o que prescinde o termo de consentimento livre e esclarecido. RESULTADOS: Foram identificadas 6.706 internamentos nesse período, com predominância de 61% do sexo masculino. O ano que teve o maior índice foi o de 2015 (n=1.154), seguido de 2017 (n=1.020). A maior parte da população eram idosos, 28% com faixa etária entre 60 a 69 anos, 26% de 50 a 50 anos e 20% tinham entre 70 a 79 anos. Quanto ao número de óbitos, encontram-se 1.024, com maior incidência no ano de 2016 (n=168), 53% era do sexo masculino, 28% também idosos com faixa etária entre 60-69 anos, seguidos de 25% para pessoas com idade entre 70 a 79 anos. Dos registros encontrados, aproximadamente 15% evoluíram para óbito. CONCLUSÃO: Com os achados encontrados, é possível concluir que o infarto agudo do miocárdio representa um problema de saúde pública importante, por ser uma agravo a saúde evitável. Os idosos são os mais atingidos pela lesão e a evolução do óbito representa um percentual de alto risco para os que apresentam a lesão permanente. É necessário a implantação de ações tanto no cuidado ao paciente quanto a gestão para melhora e controle do quadro.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

SMELTZER; S.C; BARE, B.G. Brunner & Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 12ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. Volume 1.

CARVALHO, Ana Teresa Glaser et al . Correlação entre Atividade Física e Variáveis Clínicas de Pacientes com Infarto Agudo do Miocárdio. Int. J. Cardiovasc. Sci., Rio de Janeiro , v. 31, n. 1, p. 22-25, Feb. 2018 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2359-56472018000100022&lng=en&nrm=iso>. access on 08 Apr. 2018. http://dx.doi.org/10.5935/2359-4802.20170091.

Ministério da Saúde. Sistema de Informações Hospitalares do SUS - SIH/SUS. Infarto Agudo do Miocárdio. Disponível em: < http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sih/cnv/niuf.def> Acesso em: 03 abr. 2018.

Downloads

Publicado

2019-01-07

Como Citar

Santos, J. P. N., Carregosa, J. C. P., Ribeiro, A. S., Costa, B. M. S., & Lima, S. V. M. A. (2019). PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DAS INTERNAÇÕES E ÓBITOS POR INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO NO ESTADO DE SERGIPE. 2° Congresso Nacional De Enfermagem - CONENF, 1(1). Recuperado de https://eventos.set.edu.br/conenf/article/view/9297

Edição

Seção

Linha Assistencial