APLICAÇÃO DE ESCALA DE BECK COM GESTORES DA SAÚDE EM INTERIOR DE SERGIPE

Autores

  • Bruniele da Costa Santos Universidade Federal de Sergipe
  • Luana Lima de Jesus Universidade Federal de Sergipe
  • Renata Jardim Fonoaudióloga. Doutora e mestre em Saúde Pública pela Universidade Federal de Minas Gerais, graduada em Fonoaudiologia pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, Docente de Práticas de ensino na comunidade da Universidade Federal de Sergipe. Lagarto, SE, Brasil
  • Márcia Schott Souza e Silva Doutora em Educação pela Unicamp, Mestre em Saúde Pública pela Fiocruz, Especialista em Educação Profissional em Saúde EPSJV/Fiocruz. Nutricionista (UFV) e Docente de Práticas de ensino na comunidade da Universidade Federal de Sergipe. Lagarto, SE, Brasil

Palavras-chave:

APLICAÇÃO DE ESCALA DE BECK COM GESTORES DA SAÚDE EM INTERIOR DE SERGIPE

Resumo

INTRODUÇÃO: A Organização Mundial de Saúde, estima que a depressão é responsável por 4,3% da carga global das doenças e está entre as maiores causas de incapacidade no mundo, particularmente para as mulheres. Tanto a depressão quanto o suicídio resultam da interação de fatores biológicos, genéticos, psicológicos, sociológicos, culturais e ambientais, sendo importante indicador da qualidade de vida das populações. Diante disso percebeu-se a necessidade de conhecer a predisposição, de profissionais que atuam na gestão de saúde, a desenvolver depressão. OBJETIVO: Avaliar escala de beck aplicada nos profissionais de gestão em saúde que trabalham na atenção primária do interior do estado de Sergipe. METODOLOGIA: estudo de caráter exploratório, observacional, descritivo e quali-quantitativo realizado por meio de entrevistas semiestruturadas com todos os gestores da Atenção Primária à Saúde (APS) de Lagarto/Sergipe. A coleta foi realizada no período entre Junho e Julho de 2017. Pesquisa aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa conforme Parecer Consubstanciado (nº 949.513). Foi realizada a análise estatística e descritiva, armazenados em planilha no programa EXCEL®. RESULTADOS: Entrevistou-se 16 gestores, 15 da atenção primária de saúde e 1 da atenção secundária, 100 % dos entrevistados aceitaram realizar a entrevista. Dos colaboradores da gestão 60% são mulheres e 40% homens. As idades variaram entre 53 anos e 20 anos, média de idade de 40 anos, e mediana de 43 anos. O grau de instrução predominante foi o ensino técnico (40%); de forma decrescente na frequência veio o ensino superior (27%), ensino médio (20%), pós-graduação (7%), ensino fundamental (8ª série) (7%). Quanto ao estado civil, 47% eram casados, 27% solteiros, 7% separados ou divorciados. A grande maioria dos entrevistados se declararam pardos (74%), apenas 13% pretos e 13% brancos. Quanto a religião 56% são católicos, 13% são evangélicos, 13% espíritas, 13% não possuíam religião e 6% frequentavam todas religiões. Dos 16 gestores, 11 apresentaram sintomas mínimos de depressão. Apenas 7%(n=1) apresentou depressão leve, o mesmo está no cargo há mais de um ano, 80% (n=13) estão no cargo menos de um ano.

CONCLUSÃO: Houve uma detecção mínima de depressão nesses profissionais de saúde, o que pode indicar um falso-positivo pelo tempo em que esses profissionais estão exercendo a profissão, apesar disso, é necessária a avaliação anual desses profissionais para conhecer o estado mental desses indivíduos e fornecer um cuidado com amplitude necessária.

 

Palavras-chave: Depressão, esgotamento profissional, Medicina do Comportamento

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

World Health Organization. Preventing suicide: a global imperative. Geneva: WHO: 2014

SILVA, D. S. D.; TAVARES, N. V S.; ALEXANDRE, A. R. G.; FREITAS, D. A.; BRÊDA,

M. Z.; ALBUQUERQUE, M. C. S.; MELO, V. L. N. Depressão e Risco de Suicídio entre

Profissionais de Enfermagem: Revisão Integrativa, Rev. Esc. Enferm. USP v. 49, n. 6,

Disponível em: < http://www.revistas.usp.br/> Acesso em: 29 de outubro de 2016.

Downloads

Publicado

2019-01-07

Como Citar

Santos, B. da C., Jesus, L. L. de, Jardim, R., & Silva, M. S. S. e. (2019). APLICAÇÃO DE ESCALA DE BECK COM GESTORES DA SAÚDE EM INTERIOR DE SERGIPE. 2° Congresso Nacional De Enfermagem - CONENF, 1(1). Recuperado de https://eventos.set.edu.br/conenf/article/view/9279

Edição

Seção

Linha Saúde Coletiva