DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DO FEMINICÍDIO NO ESTADO DE SERGIPE

Wiltar Teles Santos Marques, Suelen Maiara dos Santos, Marcela de Souza Santos, Mona Gizelle Dreger de Oliveira, Felipe Souza Nery

Resumo


Feminicídio representa o resultado dos diversos tipos de violências perpetrados contra a mulher e repercute em grave problema de saúde pública. O objetivo deste trabalho é avaliar a distribuição espacial do feminicídio em Sergipe no ano de 2017. Trata-se de um estudo ecológico secundários do DATASUS. A análise espacial foi realizada com o auxílio dos aplicativos GeoDA e QGis. Foi calculado o índice de Moran, com p-valor ≤0,05. Dos 75 municípios analisados, os óbitos se distribuíram em 32 deles, com destaque para Aracaju (13) e Nossa Senhora do Socorro (8). As taxas de feminicídio foram corrigidas pelo estimador bayesiano empírico local apresentando dependência espacial positiva e estatisticamente significante (I de Moran=0,39, p-valor=0,001). De forma geral, em relação a distribuição espacial dos feminicídios, não é possível afirmar que existe dependência espacial entre as taxas, entretanto alguns contextos particulares, especialmente na região central do estado, merecem destaque.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei nº 13.104, de 9 de março de 2015. Brasília, 2015. Disponível em: . Acesso em: 07 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016, 2016. Disponível em: . Acesso em: 06 mar. 2019.

GARCIA, L. P. A magnitude invisível da violência contra a mulher. Epidemiol. Serv. Saude. Brasília, v. 25, n. 3, p. 451-454, jul-set 2016.

GARCIA, L. P. et al. Estimativas corrigidas de feminicídios no Brasil, 2009 a 2011. Rev Panam Salud Publica. v. 37, n. (4/5), p 251–7, 2015.

MENEGHEL, S. N. et al. Repercussões da Lei Maria da Penha no enfrentamento da violência de gênero. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n. 3, p. 691-700, 2013.




Direitos autorais 2019 Congresso Internacional de Enfermagem